portalsemfronteira@gmail.com+55(82) 0000-0000

logo


Concursos públicos de municípios do Piauí e Maranhão podem ser anulados

publicado em:7/11/19 4:14 PM por: Redação do site GeralPolícia

A Delegacia de Combate à Corrupção (Deccor) deflagrou, nesta quinta-feira(07), a Operação Dom Casmurro com o objetivo de cumprir 12 mandados de busca e apreensão, expedidos contra os endereços de duas empresas da capital e das pessoas que administram, dirigem e colaboram com as atividades dedicadas à elaboração de concursos públicos.

Na mesma operação, foram afastados cautelarmente dos cargos o Secretário de Administração de Cocal (a 268 km Teresina) e pessoas que atuaram como membros da Comissão Permanente de Licitação do referido município no ano de 2018.

A operação foi deflagrada a partir de investigações da Deccor e de informações do Ministério Público de Cocal, quando foram constatados que as duas empresas alvos dessa operação sempre ganhavam licitações para elaborar concursos públicos municipais a partir de editais direcionados.

A denominação da operação guarda relação com o nome de fantasia de uma dessas empresas investigadas.

Participam ainda da operação o Ministério Público de Cocal, promotores membros do Gaeco, a Diretoria de Inteligência da Policia Civil, Polinter, Greco, Depre, Delegacia de Crimes Cibernéticos, a Gerência de Polícia Especializada (GPE), e auditores do Tribunal de Contas do Estado.

Ao todo, mais de 50 policiais civis, bem como Promotores de Justiça e auditores do TCE-PI realizam as diligências.

O Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público O promotor Tulio Mendes, do Ministério Público da cidade de Cocal, não descarta a possibilidade de fraude nos concursos realizados pelas empresas Insituto Machado de Assis e Crescer, e não só nas licitações.

No Piauí, as duas empresas realizaram concursos nas cidades de Joaquim Pires, Altos, Campo Maior , Cocal e Luis Correia. Cidades do Maranhão e do Pará também tiveram certames promovidos pelas as organizadoras.

Em Cocal o concurso deveria ter acontecido neste ano, mas foi cancelado após o Ministerio Público e a Polícia Civil detectarem indícios de fraudes nas licitações de contratação das empresas. Na cidade o concurso tinha mais de 100 vagas, dentre elas para os cargo de procurador.

A coordenadora do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público, promotora Débora Geane, destaca a importância da operação.

A operação cumpriu 12 mandados de busca e apreensão em dez endereços de pessoas ligadas às empresas.

Fonte: Cidade Verde





Comentários



Adicionar Comentário