Documentário Democracia em Vertigem é pré-indicado para o Oscar

O documentário Democracia em Vertigem, da diretora brasileira Petra Costa, foi selecionado em uma lista prévia de 15 obras que podem ser indicadas ao Oscar 2020. A Academia de Hollywood divulgou nesta segunda-feira, 16, a lista de pré-selecionados para disputar o prêmio.

O filme, lançado pela Netflix em junho de 2019, retrata a crise política no Brasil que culminou no processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Mas, na categoria de melhor filme em língua estrangeira, o representante brasileiro, A Vida Invisível, do cineasta Karim Aïnouz, ficou de fora. Aparecem na lista títulos como o sul-coreano Parasita e o espanhol Dor e Glória. No total, 93 países competiam pela vaga.

Os finalistas agora devem aguardar o anúncio oficial de todos os indicados ao prêmio, no dia 13 de janeiro, que vai diminuir a lista para cinco filmes em busca da cobiçada estatueta. Os vencedores serão apresentados na cerimônia, em Los Angeles, no dia 9 de fevereiro.

A Vida Invisível foi indicada para disputar a vaga no Oscar por uma comissão formada pela Academia Brasileira de Cinema. Na semana passada, o filme se viu em uma celeuma, quando uma sessão do longa para servidores da Ancine foi cancelada pelo próprio órgão.

O imbróglio culminou na demissão da secretária do Audiovisual, Katiane de Fátima Gouvêa, que teria sido a responsável pelo episódio de censura. A justificativa para a exoneração foram irregularidades que teria cometido ao se candidatar a deputada federal em 2018, quando saiu nas urnas como Katiane da Seda e recebeu 960 votos, sem conseguir se eleger. Katiane transferiu 25.600 reais do fundo eleitoral do PSD a uma empresa na qual é sócia com a mãe. Ela durou apenas duas semanas no cargo e acabou substituída pelo ex-secretário de Cultura da cidade de São Paulo André Sturm.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *