Futura médica formada pela UFPI em Parnaíba dedica conquista a Lula e Dilma

Concludentes da primeira turma do curso de medicina da Universidade Federal do Piauí em Parnaíba, cidade do litoral do estado, se reuniram para fazer uma dedicatória a Lula, como reconhecimento ao trabalho do ex-presidente de levar educação, saúde, esperança e melhores condições de vida a lugares onde antes isso era praticamente impossível.

Em nome dos colegas, a estudante Paula Evangelista, desenhou uma estrela na palma da mão esquerda e escreveu sobre ela “bjs Lula”. Depois o grupo posou para a foto. Todos aparecem sorrindo, com ar de felicidade.

Após o “ensaio fotográfico”, Paula publicou emocionante texto em uma de suas redes sociais agradecendo ao ex-presidente pela oportunidade que teve por Lula, como presidente, ter levado o curso de medicina à cidade de Parnaíba, a 350 quilômetros da capital, Teresina, onde até então só existia curso de medicina no estado.

Paula Evangelista é da cidade de Itabirito, Minas Gerais e chegou ao Piauí em 2014, para ingressar no curso de medicina da UFPI em Parnaíba. Ao final do texto ela usa uma frase onde diz que o PT, o partido de Lula e Dilma, mudou a vida dela: #optmudouminhavida.

A seguir, na íntegra, o texto da futura médica brasileira, Paula Evangelista.

“Beijo Lula!!

Há quase seis anos passei [no vestibular] pra um curso de elite [medicina] que até então era impensável pra mim e pra tantos outros. E passei pra Parnaíba. Aos amigos do Sudeste que nunca ouviram falar, Parnaíba é a 2ª maior cidade do Piauí, fica no litoral e tem menos de 150mil habitantes.

Alguns seres tiveram a ideia revolucionária de que necessitávamos de mais médicos pro Brasil, e principalmente mais médicos no interior. Daí veio a interiorização dos cursos, com a abertura inclusive desse no qual passei.

Também houve a ideia de que a formação [na área médica] precisa ser voltada pra atenção básica, com a atenção centrada na pessoa. E mais: foi observado que algo tão necessário não podia ser reservado somente aqueles que tem possibilidade de estudar nas melhores escolas e cursinhos, brancos e já de classe media/alta. Teve até nome isso: MAIS MÉDICOS.

Então se formou essa turma no interior do Piauí, com cotistas sociais e raciais; com pessoas de todas as classes e de diversos cantos do país; com professores que acreditam na construção de uma medicina que veja pessoas, não doenças.

Somos pardos, pretos, cotistas, filhos de eletricistas, vigias, donas de casa, cozinheiras, agentes de saúde, entre tantos outros que não puderam sonhar com um curso superior. Somos o fruto do sonho de gerações impedidas de sonhar. Passamos por esses quase seis anos com a família fazendo um esforço descomunal pra nos manter fora de casa (emocional e financeiramente).

Passamos por diversos momentos de dúvida: esse é realmente o meu lugar? Sim, é. Tem que ser, é pra ser.. Hoje eu sei disso sem dúvida alguma.

A vida de cada um mudou, pra alguns, em específico, a vida da família inteira mudou. E vamos mudar a vida de cada um que passar pela nossa.

Hoje, nos últimos meses de formação, só tenho a agradecer por ser parte dessa geração que tem o mínimo de oportunidade de mudar a própria história por meio da educação. Agradecer a família que fez o impossível pra tornar o sonho realidade. Aos professores que acreditaram nessa formação; aos pacientes que me deixaram participar de seus momentos mais difíceis. E claro, ao Projeto de Nação que tornou tudo isso possível.

Por tudo isso amigos, BEIJO LULA! Bjo Dilma!

optmudouminhavida”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *