portalsemfronteira@gmail.com+55(82) 0000-0000

logo


publicado em:20/03/17 4:00 PM por: Redação do site BlogsGeral

Mais de cem famílias que irão morar no residencial Antônia Flor, em Piripiri, encabeçados pela FAMCC (Federação das Associações de Moradores e Conselhos Comunitários do Piauí), participaram nessa segunda-feira, 20, de reunião com o Ministério Público.

As famílias querem que a Prefeitura de Piripiri trabalhe a urbanização da área e resolva problemas que foram apontados pela Caixa e Ministério das Cidades, financiadoras do projeto, no início da construção do conjunto. A última gestão municipal se comprometeu com os órgãos envolvidos na construção que resolveria estes problemas, tais como: entupimento de crateras resultado de escavação para retirada de piçarra e outros materiais durante muito tempo no local, entre outras dificuldades ligadas a urbanização.

A presidente da FAMCC, Neide Carvalho, informou que atual gestor de Piripiri, Luiz Menezes, alega falta de recursos para cumprir o acordo assinado pela gestão Odival Andrade.

Como resultado da reunião, a Prefeitura através do seu representante afirmou que até o dia 11 de abril, data da próxima reunião, o poder público municipal fará uma análise das obras necessárias no local.

Para o Ministério Público haverá que ser obedecida à impessoalidade das gestões, tendo o atual gestor que cumprir acordos firmados pela gestão anterior.

A FAMCC ameaça acampar na Prefeitura de Piripiri caso a prefeitura não cumpra o pacto.

Reportagem: Leocádio Santos



Post Tags


Comentários



Adicionar Comentário