Nordeste com má distribuição de chuvas de novembro a janeiro

Mesmo sob o fenômeno La Niña moderado, nem toda a região Nordeste receberá chuva acima da média histórica no trimestre novembro-dezembro-janeiro. A faixa norte da região receberá menos chuva que o normal. A precipitação ficará acima da média histórica no leste do Nordeste e em boa parte do estado da Bahia.

A má distribuição da precipitação repercutirá na temperatura com calor acima do normal no norte do Nordeste e temperatura mais baixa na Bahia. Especificamente em novembro, a precipitação acima da média histórica será observada no sudoeste, oeste e litoral da Bahia e entre Sergipe e o leste de Pernambuco. Por outro lado, o mês será menos chuvoso que o normal em boa parte do Maranhão e Piauí.

Nos primeiros cinco dias de novembro, há previsão de acumulados elevados na Bahia e no centro e sul dos Estados do Piauí e Maranhão. Mas nos dois últimos estados, o segundo evento significativo acontecerá somente nos últimos dias de novembro. Daí o desvio negativo de precipitação previsto para o mês.

O calor permanecerá acima da média histórica no Maranhão e no Piauí, mas a temperatura ficará abaixo da média histórica na Bahia, especialmente no sul do estado.

Em dezembro, boa parte do Nordeste receberá chuva acima da média, com destaque para acumulado até 100 mm mais elevado que o normal no extremo sul do estado, resultando em acumulado absoluto próximo dos 300 milímetros. Do leste do Piauí até a costa leste do Nordeste chove entre a média e abaixo da média.

A temperatura permanecerá mais baixa que o normal no sul da Bahia. Já entre o Maranhão e Ceará, mesmo com precipitações mais intensas, a temperatura ficará mais elevada que a média histórica.

Em janeiro, espera-se um padrão semelhante ao de dezembro com precipitação acima da média no oeste da Bahia, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e costa leste do Nordeste. Por outro lado, ao longo de todo o litoral da Bahia e no sertão dos Estados de Sergipe, Alagoas e de Pernambuco, a chuva ficará abaixo da média.

O calor acima do normal será percebido na maior parte da região, indicando que a chuva, mesmo acima do normal, acontecerá na forma de pancadas. Não há previsão de grandes invernadas. Somente no oeste do Maranhão, a chuva será mais persistente e a temperatura ficará abaixo da média histórica.

De fevereiro a abril, a atmosfera continuará respondendo como La Niña, mas não será suficiente para que permaneça chuva acima da média em todo o Nordeste. Todo o leste da região e áreas do vale do São Francisco da Bahia recebem menos chuva que o normal. A precipitação acima da média será vista na costa do Ceará, norte do Piauí, Maranhão e algumas áreas do oeste e sul da Bahia.

O trimestre será caracterizado por temperatura próxima da média histórica. Somente o vale do São Francisco permanecerá sob calor no período.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *